FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

ACT: governos devem priorizar esforços para a superar violência contra mulheres

Por ocasião do Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a Aliança ACT, da qual a FLD é membro, faz um chamamento aos países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU) para cumprirem suas obrigações no combate às causas e consequências da violência contra mulheres e meninas – que têm efeitos devastadores não só sobre as vítimas, mas também nas perspectivas de paz e desenvolvimento. "O sucesso futuro da paz internacional e do desenvolvimento sustentável depende da superação da violência de gênero", afirmou o secretario geral da Aliança ACT, John Nduna, em posicionamento divulgado no dia 7 de março. Leia a matéria na íntegra.

Estatísticas alarmantes mostram os enormes obstáculos que estão no caminho da erradicação da violência contra as mulheres. A ONU indica, no seu relatório mundial, que mais de sete em cada 10 mulheres já sofreram violência física e/ou sexual em suas vidas. Em resposta a esses números – e para comemorar o Dia Internacional da Mulher – ACT pede aos Estados membros da ONU para cumprirem sua obrigação pelo fim da violência contra as mulheres e meninas.

"A comunidade internacional tem a responsabilidade de implementar ações, em nível global, para prevenir a violência contra as mulheres e meninas. Na verdade, os Estados têm a obrigação legal e moral de impedir  que esta forma terrível de violência comece”,  afirmou Nduna. Violência contra a mulher é um fenômeno universal e se apresenta de várias formas: violência física e moral, casamentos forçados de meninas, gravidez forçada, crimes "de honra", mutilação genital feminina, femicídio, assédio sexual, tráfico e violência relacionada a conflitos armados.

"Em situações de conflito ou pós-conflito, a participação das mulheres é fundamental para a criação de um ambiente mais seguro para se viver", diz Nduna. O enfrentamento da violência contra mulheres e meninas exige medidas legislativas e políticas abrangentes, incluindo a acusação e punição dos criminosos, além de ações de prevenção e de suporte para as sobreviventes.

Neste contexto, a Aliança ACT exige que a Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher para trabalhe pela ratificação global da Convenção sobre a Eliminação de todas as formas de Discriminação contra a Mulher.

"O sucesso e o futuro da paz internacional e de um desenvolvimento sustentável dependem de eliminar o flagelo da violência de gênero", concluiu.

Fonte: Aliança ACT 


Foto: Divulgação