FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Ainda sobre a Conferência sobre o Clima (COP 18): o engajamento da juventude

Duas jovens, uma do Rio Grande do Sul, uma de São Paulo, uma representando a igreja, outra representando uma organização da sociedade civil, cumpriram uma “missão impossível”: receber a atenção do chefe da Delegação Brasileira que participou das negociações na COP 18, em Doha, no Catar, no meio de centenas de pessoas.

Ainda que os resultados da 18ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP 18, realizada de 26 de novembro a 7 de dezembro de 2012, em Doha, no Catar, foram muito tímidos, a participação dos jovens e das jovens merece ser comemorada.

Aqui, damos destaque a duas brasileiras, Raquel Kleber e Evelyn Araripe. Raquel esteve na conferência integrada ao grupo da Federação Luterana Mundial (FLM) por meio da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), e Evelyn foi pela Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadores (Renajoc), parceira da FLD, e como comunicadora da Viração Educomunicação.

A pedido da FLD, as duas toparam uma “missão impossível”: articular um encontro com o chefe da delegação brasileira, o embaixador André Corrêa do Lago, para entregar em mãos a carta encaminhada para a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, pelos membros da Aliança ACT no Brasil: FLD, Diaconia de Recife, Koinonia, Coordenadoria Ecumênica de Serviço, Christian Aid, Ajuda da Igreja da Noruega e CLAI Brasil.

A carta, assinada pelo secretário executivo de ACT, John Nduna, pedia ao Governo Brasileiro que se empenhasse ao máximo para usar as possibilidades oferecidas pela COP 18 e que pressionasse para o avanço das negociações internacionais sobre o clima.

A FLD já havia encaminhado o documento de forma oficial, para Brasília, mas sabendo da participação de Raquel e de Evelyn, perguntou se elas concordavam em fazer uma tentativa de entregar em mãos. “Depois que vocês mandaram o documento, tentamos e conseguimos contato com a assessora direta do embaixador André Corrêa do Lago”, contou Raquel. “Finalmente, recebemos a informação de que ele nos atenderia. Eu entreguei a carta e a Evelyn fez a foto!”