FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Coleta seletiva solidária tem início na cidade de Uruguaiana (RS)

Depois de anos de trabalho no lixão, catadoras e catadores de Uruguaiana (RS) começaram as atividades da Coleta Seletiva Solidária, através da Associação de Catadores de Amigos da Natureza (Aclan) vinculada ao Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis.

A cerimônia de implantação da modalidade aconteceu no dia 2 de setembro, com a presença da coordenadora da Aclan, Maria Tugira Cardoso, catadoras e catadores da coleta seletiva, o prefeito de Uruguaiana, Luiz Augusto Schneider, os secretários diretamente envolvidos com o projeto - secretário de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho, Jorge Prestes Lopes, secretário  do Meio Ambiente, Rogério de Moraes, e o secretário de Educação, Francisco Robalo Fernandes -, além de diversas outras lideranças e autoridades. A organização do evento esteve a cargo da Fundação Luterana de Diaconia, que desenvolve um trabalho com catadoras e catadores há alguns anos e que acompanha este processo por meio do Projeto Pampa e do projeto Catadoras e Catadores em Rede, coordenado e executado pela FLD e MNCR, com patrocínio do Programa Petrobras Socioambiental.

Enquanto o Centro de Triagem de Resíduos Sólidos, que está sendo construído com apoio do Departamento de Incentivo e Fomento à Economia Solidária (Difesol)/Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sesampe), não estiver finalizado, o trabalho de separação e organização dos materiais coletados será feito em um espaço cedido.

Na quinta-feira, dia 4, catadoras e catadores iniciaram as atividades, indo de porta em porta, coletando materiais, conversando com moradoras e moradores e entregando um folder sobre o projeto e com informações sobre a separação de materiais. "Algumas pessoas acharam que a gente estava distribuindo santinhos de candidatos e outras não demonstraram interesse, mas a maioria nos recebeu muito bem", contou a catadora Marli Janete Pinheiro Ribeiro.

Ela, que trabalhou no lixão desde os 14 anos, é casada com Paulo Roberto dos Santos Ribeiro e tem dois filhos. Desde o início do mês está na equipe da Coleta Seletiva Solidária e se entusiasma com a perspectiva de uma vida melhor. Fala de algo básico - trabalhar e chegar em casa sentindo-se limpa - o que no lixão é impossível. "Muitas colegas dizem a mesma coisa".

Desfile no Sete de Setembro

No Sete de Setembro, Dia da Independência, a Aclan foi convidada a participar do desfile municipal. A alegria e o orgulho estavam estampados no rosto de crianças, mulheres e homens que, uniformizados, seguravam faixas divulgando a Coleta Seletiva Solidária.

"Agora que saímos do lixão, estamos com muitos planos", disse Marli. Um destes é que ela, junto com um grupo maior, vai começar a estudar: "assim como a maioria de nós, não sei ler e nem escrever, só sei assinar meu nome".

Coleta Seletiva Solidária em Uruguaiana.

Além da questão ambiental, a coleta seletiva solidária resolve outra questão fundamental, que é a inclusão social de catadoras e catadores. A luta da Aclan vem de muitos anos, e andou depois que a Fundação Luterana de Diaconia e o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) assumiu a pauta da Aclan como prioritária.

O prefeito Luiz Augusto Schneider acolheu a proposta e, a convite da FLD, visitou a experiência da Coleta Seletiva Solidária em Gravataí (RS). A proposta foi novamente discutida em uma audiência pública realizada em Uruguaiana no dia 29 de novembro de 2013. A audiência foi convocada pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do RS, atendendo solicitação do MNCR e FLD. Naquele dia, integrantes do movimento nacional de catadores ocuparam o lixão, com o objetivo de denunciar as condições desumanas de trabalho no local.

Na audiência, estiveram presentes a coordenadora da Aclan, o prefeito de Uruguaiana e diversos secretários, a coordenadora do Comitê Interministerial para Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis (CIISC) da Secretaria Geral da Presidência da República, Daniela Metello, a Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do RS, através do Deputado Estadual Jurandir Maciel, a assessora de projetos e a assistente técnica da FLD, Juliana Mazurana e Ângela Costa, e lideranças do MNCR, Fagner Jandrey e Alex Cardoso.

De acordo com nota emitida pela prefeitura, "a implantação da Coleta Seletiva Solidária em Uruguaiana só está sendo possível graças à união de forças da prefeitura, do Comitê Interministerial de Inclusão Social e Econômica dos Catadores de Materiais Recicláveis – CIISC, do Departamento Estadual de Incentivo à Economia Solidária, da Comissão Estadual de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, da FLD e do MNCR, em parceria com a Aclan.

Uruguaiana é o primeiro município da fronteira Oeste do RS a adotar a Coleta Seletiva Solidária.