FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Copa do Mundo traz reconhecimento ao trabalho de catação de materiais recicláveis

Durante a Copa do Mundo Fifa, catadoras e catadores vinculadas/os ao Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) participaram da coleta seletiva nos diversos estádios onde foram realizados os jogos. Em Porto Alegre (RS), uma equipe de 39 catadoras e catadores foi responsável pela coleta no estádio Beira-Rio.  

O lucro de R$ 25.000,00 obtido no envio da coleta para a central de resíduos ainda não teve seu destino definido, mas deverá ser revertido à Rede de Catadores de Materiais Recicláveis de Porto Alegre e Região (Catapoa). Entre os materiais mais coletados estavam papel, plástico e metal, que geraram, em média, 22 toneladas.

Segundo Luciano Menezes, coordenador operacional do MNCR, a contratação de cooperativas de catadoras e catadores de materiais recicláveis para atuarem na Copa mostra que estas têm condições de prestar serviços em grandes eventos. A partir daí, Luciano celebra o maior resultado da parceria: a negociação do contrato com o Internacional para a realização da coleta em jogos realizados no Beira Rio em Porto Alegre.

A equipe de catadoras e catadores, que agora possui o “Selo de aprovação FIFA”, recebeu treinamento com carga horária de quatro horas, onde foi orientada sobre o manuseio dos equipamentos utilizados durante o Mundial e na dinâmica de trabalho dentro do estádio. Além de receberem informações sobre segurança e questões comportamentais, catadoras e catadores fizeram um reconhecimento do local, identificando áreas satélites (local onde os resíduos ficaram armazenados durante os jogos), e, assim, puderam elaborar a estratégia das coletas.

As e os integrantes da equipe, que receberam auxílio de R$ 80/dia, atuaram nos espaços de acesso do público, na entrada da torcida, nos corredores, nos vomitórios (áreas de acesso às arquibancadas) e nas áreas externas do estádio.

Para isso, chegavam ao Beira-Rio cinco horas antes do início do jogo. Encontravam-se seis horas antes no portão de acesso e dirigiam-se à central de resíduos, onde definiam questões práticas e partiam para o trabalho.

Reconhecimento

"Viver a Copa foi muito mais do que dinheiro. Foi o reconhecimento do nosso trabalho."

Graziela de Arruda Alves, 32 anos, da Vila Bonsucesso, no Bairro Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, foi uma das 39 catadoras que participou da coleta no Beira-Rio. Nestes 45 dias trabalhados, grávida de oito meses, Graziela conseguiu juntar recursos com o dinheiro do auxílio para construir o quarto do bebê que está a caminho.

Durante os dias de trabalho, a recicladora acordava às 4h30min para iniciar o expediente no galpão às 7h, sem hora para terminar. Em dias de partida, chegou a sair do Beira-Rio de madrugada, por volta da 1h30min.

O esforço, porém, não foi motivado apenas pelo dinheiro. O principal mérito foi trazer reconhecimento para o trabalho das catadoras e dos catadores. Através dessa iniciativa, o grupo fechará outros contratos para grandes eventos, como o que está em negociação com o Internacional.

As e os integrantes da equipe vieram da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (Ascat), Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis e Industrialização (Coopertinga), Associação de Catadores Torotama (ACT), Associação dos Catadores da Vila Nova Chocolatão, Associação Comunitária do Campo da Tuca/Setor Reciclagem(ACCT), Associação dos Recicladores Rubem Berta, Associação dos Catadores da Lomba do Pinheiro (UTC) e Cooperativa de Trabalho dos Catadores do Município de São Leopoldo (Uniciclar).

O que a reciclagem preservou nestes jogos da Copa

Água – 17.216 metros cúbicos

Areia – 14 toneladas

Árvores – 5.182 unidades

Carvão mineral – 12 toneladas

Energia – 1.446 MWh

Minério de ferro – 82 toneladas

Petróleo – 997 barris

Resíduos coletados nos outros estádios da Copa

Arena Pernambuco: 14.207 toneladas

Arena Pantanal: 17.019 toneladas

Beira-Rio: 20.643 toneladas

Arena Amazônia: 18.979 toneladas

Arena Baixada: 19.554 toneladas 

Arena Fonte Nova: 36.141 toneladas

Mané Garrincha: 29.653 toneladas

Castelão: 39.256 toneladas

Arena Corinthians: 35.730 toneladas

Maracanã: 44.660 toneladas

Mineirão: 59.757 toneladas

Arena das Dunas: 51.419 toneladas

TOTAL:  387.018 toneladas

As informações são do site www.catasigcopa.com.br

Foto: Divulgação/MNCR