FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Do sul ao norte: projetos de desenvolvimento ganham destaque na Aliança ACT

A FLD foi colocada no "spotlight" de ACT, um espaço de comunicação para divulgar iniciativas e projetos dos integrantes da aliança global. Para apresentar a abrangência do seu trabalho, foram incluídas as iniciativas do Proasa e do MNCR, que acontecem distantes 3.500 quilômetros, em Rondônia e no Rio Grande do Sul. A FLD é mebro de ACT.

Proasa

http://proasa.blogspot.com/

O Projeto de Agroecologia do Sínodo da Amazônia (Proasa), vinculado à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), tem o apoio da FLD e EED. As ações do projeto atendem famílias da região central do estado brasileiro de Rondônia, incluindo os municípios de Cacoal, Espigão do Oeste, Rolim de Moura, Pimenta Bueno, Ministro Andreazza e Alta Floresta do Oeste.

Além de promover a produção agroecológica, adaptada à região Amazônica, o Proasa trabalha questões como soberania alimentar, através do resgate, multiplicação e disseminação de sementes e espécies crioulas; a inclusão de mulheres e jovens no planejamento, produção e venda da produção da propriedade; e formação junto às comunidades locais, associações e escolas para que mais pessoas compreendam, valorizem e se integrem à proposta agroecológica.

MNCR 

http://www.mncr.org.br/

O Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) busca organizar os catadores e catadoras em todo Brasil, objetivando valorizar a catação como uma categoria de trabalho. Tem por princípio garantir a independência de classe, a autogestão e o controle da cadeia produtiva de reciclagem. Surgiu em 2001 como movimento estruturado nas grandes cidades e regiões metropolitanas, tais como São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre. Antes disso a FLD já havia construído uma relação com os catadores por meio de apoios pontuais a pequenas iniciativas, via Fundo de Projetos.

Atualmente, a FLD tem sido parceira do MNCR em projetos de formação de catadores no estado do Rio Grande do Sul, que incluem ações de formação, assistência técnica e mobilização social, com o objetivo de viabilizar a criação de uma cadeia produtiva de materiais recicláveis, de formato solidário e autogestionário. 

Conforme o Cadastro Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis, existe no Brasil cerca de 1 milhão de catadores, que trabalham em lixões a céu aberto ou nas ruas. Destes, 86 mil catadores estão organizados (vinculados ao MNCR) e 200 mil estão em processo de organização.

As fotos, que podem ser vistas em  http://www.facebook.com/actalliance e http://www.facebook.com/FLDact mostram o trabalho dos catadores e catadoras na Cooperativa dos Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (ASCAT), em Porto Alegre (RS), fazendo a triagem, prensagem, estoque e envio dos materiais recicláveis para comercialização. O grupo beneficia mais 200 toneladas de materiais recicláveis por mês. Quarenta famílias tiram a renda deste trabalho.

Foto: ACT/FLD/Carlos Edler. A foto mostra Pamela Menezes e o gato Titi.