FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Encontro articula a consolidação da cadeia de frutas nativas no RS

O Encontro Estadual da Cadeia Solidária de Frutas Nativas, promovido na 36ª Expointer, no dia 27, em Esteio (RS), reuniu 120 produtores do setor e foi prestigiado pelo governador Tarso Genro, secretário da Economia Solidiária e Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sesampe), Maurício Dziedricki, titulares de secretarias e de órgãos do governo estadual e representantes do segmento. Realizado pela Sesampe para debater os processos de plantio, cultivo, colheita, armazenamento, beneficiamento e comercialização, com foco no fortalecimento e na consolidação da cadeia de frutas nativas. A FLD esteve presente, pela sua relação de apoio a grupos da Economia Solidária e pelo seu projeto da Rede de Comércio Justo e Solidário - muitos grupos estão usando polpa de frutas nativas para preparar alimentos diferenciados.No Espaço Internacional, convidados e produtores degustaram iguarias produzidas a partir de frutas nativas do Rio Grande do Sul e subutilizadas pelo setor produtivo. O coquetel, composto por bolos, cucas, pastéis, risoles, sucos e sorvetes artesanais, tendo como base a polpa de araçá, butiá, banana, guabiroba, jabuticaba, juçara (açaí gaúcho) e goiaba, foi organizado para demonstrar as possibilidades de aproveitamento das frutas.

"Queremos investimentos externos integrados e que não sufoquem nossa base produtiva local, na qual a economia solidária é a essência", enfatizou o governador Tarso Genro. Para o titular da Sesampe, "foi uma tarde de elaboração de uma pauta pública de desenvolvimento que envolve seis regiões do Estado relacionadas com a economia solidária, e investir em economia solidária é investir no trabalhador".

A Sesampe desenvolve a cadeia em parceria com a Cooperativa de Consumidores de Produtos Ecológicos de Torres (EcoTorres), em Torres, Ação Nascente Maquiné (Anama), em Maquiné, Centro Ecológico, em Dom Pedro de Alcântara, e Centro de Tecnologias Alternativas e Populares (Cetap), em Passo Fundo, que atua na pesquisa do aproveitamento das frutas para produção de alimentos.

De acordo com a diretora do Departamento de Incentivo e Fomento à Economia Solidária (Difesol), da Sesampe, Nelsa Nespolo, a proposta de criação da cadeia produtiva preenche a lacuna de aproveitamento de frutas nativas, resgata o potencial econômico das espécies, com repercussão na geração de trabalho e renda.

Foto: Caco Argemi/Palácio Piratini