FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

FLD convida para o Café com Direitos da Criança e do Adolescente

Para se juntar ao conjunto de organizações que está debatendo a PEC 171, sobre a Redução da Maioridade Penal, e também marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes (18 de maio), A FLD está promovendo o Café com Direitos da Criança e do Adolescente, com a participação da adolescente Karen Vieira de Aguiar que integra a Comissão Organizadora da Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, e da advogada Consuelo da Rosa Garcia, membro da Coordenação do Fórum do Direito da Criança e Adolescente.

Karen integra o Grupo de Trabalho de Crianças e Adolescentes do projeto Fortalecimento do Protagonismo de crianças e adolescentes no RS, desenvolvido pela Amencar, organização parceira da FLD. Da mesma forma, Consuelo é articuladora da Amencar na mobilização contra a redução da maioridade penal.

O Café com Direitos da Criança e Adolescente é o segundo café temático realizado pela FLD em 2015, aberto a todas as pessoas. A proposta é criar um espaço de aprendizagem e partilha sobre direitos humanos, além de promover um tempo de encontro e de fortalecimento de relações, ao redor de uma mesa de café.

O evento será no dia 1º de junho, das 17 às 19h, na sede da FLD, à Rua Dr. Flores, 62/sala 901, centro de Porto Alegre (RS).

Assassinato de Araceli

O Dia 18 de Maio é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro.

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. A menina, de 8 anos, foi raptada, drogada e assassinada barbaramente. Seu corpo foi encontrado somente seis dias depois, desfigurado por ácido e com marcas de extrema violência e abuso sexual. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune. Em 2015, o assassinato de Araceli completa 42 anos.

É preciso destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres da violência, do abuso e da exploração sexual. 


Foto: Gustavo Azeredo/www.gustavoazeredo.com.br