FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

FLD leva Nem Tão Doce Lar à Santa Maria (RS)

Nesta quarta-feira, 27, o Projeto Nem tão Doce Lar (NTDL), iniciativa da FLD, vai ser uma das atividades no dia de encerramento da V Semana da Mulher de Santa Maria (RS). O facilitador da exposição interativa, teólogo Rogério Oliveira de Aguiar, vai apresentar a metodologia de trabalho da casa. O convite partiu da professora da UFSM, doutora Márcia Paixão, antes professora da Faculdades EST em São Leopoldo (RS) na disciplina de Teologia Feminista.

“A Nem Tão Doce Lar é mais um mecanismo de denúncia da violência doméstica. Durante as capacitações para acolhedoras e acolhedores da exposição, abordamos conceitos como patriarcalismo, androcentrismo, sexismo e machismo. A ressignificação de conceitos sexistas é algo libertador, tanto para mulheres quanto para homens”, disse Rogério. O empoderamento das mulheres permite que as mesmas possam se organizar de maneira articulada, buscando as garantias necessárias para que as políticas públicas de proteção e garantia de direitos sejam implantadas. A apresentação dele vai ocorrer na Câmara de Vereadores de Santa Maria, a partir das 18h. A programação do evento prevê também a exibição do documentário “O silêncio das inocentes” e o Encontro das Associações Comunitárias do município.

Exposição itinerante

Farroupilha (RS) recebeu a NTDL entre oito e 18 de março, em uma grande tenda montada na Praça da Matriz, numa parceria com a Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto (SMECD), a convite da secretária Mara Parlow, uma das idealizadoras da versão brasileira da NTDL. Rogério esteve em Farroupilha na véspera da abertura da exposição, dia sete de março, quando realizou uma capacitação no salão paroquial da Igreja Católica, para as sete acolhedoras, pessoas que recebem os visitantes da exposição. “A participação nas capacitações é inclusiva, é importante que mulheres e homens participem. O diferencial desta edição, com relação às demais, foi que pela primeira vez a NTDL contou com apoio de uma psicóloga e de uma consultora jurídica, para atendimento, a partir de uma solicitação de visitantes,” contou.

Para o próximo semestre, está prevista a realização de uma capacitação em Farroupilha sobre relações de gênero. Para levar a mostra aos municípios basta contatar diretamente a FLD, que orienta todo o processo, assessoria, capacitação dos/as acolhedores/as e monitora o desenvolvimento e desdobramento das atividades. O contato pode ser feito através do e-mail fld@fld.com.br

Histórico

A mostra nasceu a partir de uma exposição internacional chamada Rua das Rosas, criada pela antropóloga alemã Una Hombrecher, com o apoio da agência Pão para o Mundo (PPM). A proposta inicial, que tinha ainda uma linguagem europeia, foi apresentada em Porto Alegre (RS), de 14 a 23 de fevereiro de 2006, durante a 9ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI). Esta primeira exposição esteve sob a coordenação da FLD, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) e um consórcio de organizações da sociedade civil que atuam denunciando e construindo possibilidades de superação da violência.

Fonte: FLD


Foto: ACT FLD/Paulino Menezes. A imagem integra a exposição Nem tão Doce Lar.