FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Projeto dissemina criação racional de abelhas nativas sem ferrão na Mata Atlântica e no Pampa

14-04-2017

Foto Anama capa

O projeto Abelhas nativas sem ferrão – polinizadores da Mata Atlântica, Pampa e Agricultura, da Ação Nascente Maquiné (Anama), em Maquiné (RS), dá continuidade às ações da organização para disseminar a criação racional de abelhas nativas sem ferrão – a meliponicultura. A Anama desenvolve ações nessa área há mais de seis anos, fortalecendo a capacitação na atividade, com foco em comunidades locais de agricultoras, agricultores e pecuaristas familiares, apicultoras e apicultores, professoras e professores, estudantes e indígenas Guarani. Os municípios abrangidos são Maquiné, no bioma da Mata Atlântica, e Caçapava do Sul, no bioma Pampa.

A iniciativa, que recebe apoio do Programa de Pequenos Projetos (PPP) da FLD, promove geração de renda – de forma sustentável –, a conservação da biodiversidade e o estímulo à percepção ambiental, como fatores de desenvolvimento para as comunidades envolvidas.

No segundo semestre de 2016, ocorreram atividades com abelhas nativas na Mata Atlântica, em Maquiné: foram realizadas visitas técnicas a sete meliponicultores, assistidas e assistidos pela Anama em projetos anteriores. Nestas visitas, avaliou-se a sanidade dos enxames, como o aspecto da entrada, a movimentação externa das abelhas, a coleta de pólen, a presença e quantidade de reserva de alimento, a presença de rainha fisiogástrica e realeiras, aptidão à duplicação e ocorrência de parasitas ou predadores. Também ocorreram manejos básicos, entre os quais a limpeza das colmeias e o fornecimento de alimentação para alguns enxames.

Em outubro, foi realizada uma reunião na sede da Anama, que funciona com um centro de referências ambientais, com diversas tecnologias sociais e ecológicas, entre as quais captação e armazenamento de água de chuva, saneamento ecológico, paisagismo produtivo, abelhas nativas, telhado vivo e geração de energia (solar). As e os participantes participaram de atividades de manejo para incrementar a agrofloresta da sede, que tem espécies de múltiplas propriedades (juçara, pitanga, margaridão, butiá, astrapeia), incluindo relação de polinização com as abelhas.

Na segunda etapa das iniciativas está prevista a sistematização das informações levantadas.

Fonte: http://www.onganama.org.br/