FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

​Reunião ampliada discute incorporação do CAPA à FLD

7-03-2017

Foto Reunião Ampliada CAPA 1

Conselheiras e conselheiros do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA), o pastor presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), pastor Dr. Nestor Friedrich, e a presidenta da Diretoria da Fundação Luterana de Diaconia (FLD), diácona Valmi Becker, participaram, nos dias 2 e 3 de março, em Porto Alegre (RS), da Reunião Ampliada sobre o processo de incorporação do CAPA à FLD.

Presentes também estavam as coordenadoras e os coordenadores do CAPA, Ingrid Giesel, Rita Surita, Sighard Hermany, Jhony Luchmann e Vilmar Saar, a secretária executiva da FLD, pastora Cibele Kuss, a coordenadora programática da FLD, Marilu Menezes, o coordenador da área administrativo-financeira da FLD, Júlio Zellmann, o secretário adjunto para Missão e Diaconia/Secretaria Geral da IECLB, pastor Altemir Labes, o diretor executivo da ISAEC, Bolco Hoppe, a pastora sinodal do Sínodo Sul-rio-grandense, pastora Roili Borchardt, o pastor sinodal do Sínodo Uruguai, pastor Jair Luiz Holzschuh, o pastor sinodal do Sínodo Rio Paraná, pastor Lauri Becker, e o pastor sinodal do Sínodo Centro Campanha Sul, pastor Ari Bublitz.

O processo de incorporação, que, além do CAPA, envolve o Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN), foi aprovado pela Assembleia da FLD em 2016, quando foi criado um grupo de trabalho para tratar do tema. O GT é formado por representantes do CAPA, do COMIN, da Secretaria Adjunta para Missão e Diaconia da IECLB e da Diretoria e Coordenação Ampliada da FLD. O GT foi implementado em 31 de maio de 2016. O acompanhamento jurídico é feito pelo escritório DOA – Advocacia de Direitos Humanos, especializado em trabalhar com organizações e movimentos sociais. Em uma consulta feita ao escritório DOA e à assessoria jurídica da ISAEC, os pareceres foram favoráveis à incorporação.

Segundo a secretária executiva da FLD, pastora Cibele Kuss, a iniciativa vai unir instituições que atuam com os mesmos focos, buscando seu fortalecimento e sustentabilidade institucional, ampliando sua relevância frente ao atual cenário vivido no Brasil e sua comunicação com comunidades luteranas.

“Esse processo vem sendo sonhado há anos, por conta da proximidade de atuação. Além de serem parceiras históricas, as três organizações – CAPA, COMIN e FLD – foram criadas pela IECLB, têm foco na diaconia, nos direitos humanos e ambientais, promovem a agroecologia, fazem gestão de projetos, prestam assessoria e formação, atuam com juventudes, grupos de mulheres, instituições diaconais, fóruns, redes e conselhos”, disse. “Tudo está sendo feito com muito cuidado. Não queremos que nada se perca, mas que tudo se agregue. O processo será lento para que seja bem feito.”

A presidenta da Diretoria da FLD, diácona Valmi Becker, afirmou que a proposta é caminhar com segurança: "Teremos dúvidas e desafios, mas estamos construindo algo, juntas e juntos, para ganhar corpo e avançar no nosso trabalho.

“A jornada dessas organizações aponta para um futuro promissor”, afirmou o pastor presidente da IECLB., past Dr. Nestor Friedrich. Ele lembra que na época da criação do CAPA pela igreja luterana, não se tinha ideia de quão longe a organização chegaria. “O CAPA, assim como a FLD, é uma grandeza que foi construída com apoio de a IECLB e tem uma função de testemunho a partir da confessionalidade luterana, não só para dentro da sociedade, mas para dentro das comunidades luteranas”, disse. “Que o ano de 2017, o ano da Reforma Luterana, possa ser inspirador. Continuemos sendo ousados, transformando vidas e a sociedade”.