FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Papel de lideranças religiosas em contextos de desastres é fundamental

“Diante das tragédias e catástrofes que acontecem em nosso meio, foi possível perceber que temos ferramentas, pessoas e um grande laço de unidade, que podem fazer a diferença. O encontro proporcionou esta reflexão e esta vivência”, disse Gilson Ricardo Hoepfner, de Blumenau (SC), pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, referindo-se ao 1º Curso Nacional de Apoio Psicossocial de Base Comunitária (APCB) em Emergências para lideranças de diferentes Expressões Religiosas.

Para Fabiane de Souza Vieira, de São João de Meriti (RJ), liderança afro-religiosa do Candomblé, que atua Centro de Promoção da Liberdade Religiosa e Direitos Humanos, conhecer outras expressões religiosas foi uma experiência extremamente rica. “Encontrei um grupo comprometido, especialmente com o amor ao próximo”, disse. “Foi muito bom trabalhar sob a perspectiva da unidade, ou seja, do que nos une como lideranças”.

Promovido pela Fundação Luterana de Diaconia (FLD), pelo Conselho de Igrejas Cristãs no Brasil (Conic) e por FE ACT Brasil, com apoio da Comunidade Internacional de Prática em APBC da Aliança ACT, e realizado de 4 a 8 de maio, em Porto Alegre (RS), foi o primeiro curso organizado para este público específico, também em termos internacionais.

Em contextos de desastres, o papel desempenhado pelas lideranças religiosas é essencial: além de se envolverem no estágio inicial da resposta, são reconhecidas como elos fundamentais junto às comunidades afetadas: conhecem sua história, suas tradições, suas forças e desafios.

A abordagem de APBC acrescenta as dimensões mental, social, emocional, cultural e espiritual à tradicional ajuda humanitária, centrada nos aspectos biológicos e materiais. Seu objetivo é fortalecer o bem estar psicossocial das pessoas e comunidades afetadas, permitindo sua recuperação a partir de seus próprios conhecimentos, organização e capacidades.

Kathy Angi, pastora da Igreja Presbiteriana dos EUA, assistente social e especialista em Apoio Psicossocial vinculada à Aliança ACT, e Anne Kubai, professora de Estudos Inter-religiosos na Universidade de Upsalla, na Suécia, conduziram a formação.

Presentes estiveram lideranças religiosas da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Batista, Igreja Episcopal Anglicana, Igreja Adventista, Igreja Católica, Igreja Reformada, Comunidade Baha'i, United Religions Iniciative Brasil, Comunidade Islâmica, Wicca e Candomblé.

Encaminhamentos

O curso finalizou com diversos encaminhamentos estratégicos para o grupo, entre os quais: partilhar e difundir nos seus territórios e bases a proposta de APBC; realizar incidência com as lideranças religiosas de suas comunidades; comprometer-se com a partilha do processo de aprendizagem em suas comunidades; participar de grupos de emergência e atuação em situação de desastres onde estes espaços existem; continuar a articulação entre o grupo, a partir dos espaços que forem criados.

Outros depoimentos

Uma experiência extremamente rica, conhecer diversas expressões religiosas e que o bem comum é tão importante, a ponto de esquecermos nossas diferenças e criar laços para ajudar outras pessoas e a nós mesmas e a nós mesmos.

Cristiane Aparecida de Lima, de São Paulo (SP), do templo Wicca Senhores da Luz

A FLD teve a feliz ideia de promover este encontro, onde diversas religiões e credos estão juntos, visando o bem comum. Neste momento do Brasil vivemos uma onda de intolerância, alimentada por um neoconservadorismo e um fundamentalismo que se fortalece pelas redes sociais, embasado sobretudo em ataques pessoais. Este curso nos leva a pensar no cuidado da outra e do outro, de forma significativa, com conhecimentos que permitem analisar a nossa prática como líderes religiosos. A integração, a sociabilidade e a troca de experiências muito enriqueceram a todas e todos nós.

Dodora Costa, de Ponte Nova (MG), coordenadora da Pastoral do Menor/Regional Minas Gerais e Espírito Santo, da CNBB