FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Pastor de "rappers" e dançarinos de rua completa 10 anos de ordenação

A Comunidade Norte Fluminense e Projeto Educar pela Paz (na localidade de Rio das Ostras/RJ), do Sínodo Sudeste, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), que reúne jovens rappers e dançarinos de rua, deram graças a Deus pelos 10 anos de ordenação do pastor Francisco Rafael Soares dos Santos.

O Culto de Ação de Graças foi realizado no dia 11 de maio, nesta cidade, trouxe à tona muitas emoções, expressões de amor e gratidão pelo trabalho dedicado. O Grupo do Projeto Educar pela Paz, apoiado pela Fundação Luterana de Diaconia (FLD), se apresentou e emocionou o pastor e os demais presentes com sua dança e música.

"Francisco", como é chamado pelos jovens que cantam "rap" e desenvolvem as danças de rua, se sente agraciado por Deus. Na prédica, ele destacou que se sentiu que sua vida foi protegida, desenvolveu a persistência e superou diversas dificuldades – inclusive discriminação racial – durante sua caminhada ministerial.

Começou a exercer o ministério pastoral em 11 de maio de 2003, após ter concluído seu bacharelado em Teologia na Escola Superior de Teologia, em 2001. Atuou na Paróquia Evangélica de Sorriso (MT), na Comunidade Evangélica de Campo Grande (MS), no Abrigo Rainha Sílvia, Itaboraí (RJ), e agora exercendo seu ministério no Projeto Missionário Norte Fluminense, em Rio das Ostras (RJ).

Ele dedica parte do seu ministério à luta contra a violência étnico-racial e social, propondo uma intervenção missionária da IECLB para além dos seus muros, envolvendo os jovens - que sofrem repressão e certa indiferença do poder público - com a Cultura da Paz.

Membros e lideranças da Paróquia Esperança e da Comunidade Norte Fluminense participaram na celebração, agradeceram seu trabalho ministerial do Pastor Francisco, pediram bênçãos sobre vida. Os jovens do Projeto Educar Pela Paz dirigiram o "louvor", se apresentaram com dança de rua e rap, com a participação dos rappers Mc Natan e Mflou, que atuam no Projeto Educar Pela Paz.

Texto e fotos: Antonio Carlos Ribeiro