FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Porto Lucena, no Sínodo Noroeste Riograndense, decreta estado de emergência

Uma tempestade com ventos de até 100 km/h e queda de granizo atingiu milhares de casas em diversos municípios do noroeste do Rio Grande do Sul na noite de terça-feira, dia 18 de setembro. O pastor sinodal do Sínodo Noroeste Riograndense, Renato Küntzer, visitou Porto Lucena no dia 19 à tarde, um dos municípios que mais contabilizou danos. Um cálculo inicial da prefeitura indica que 90% das 2,5 mil residências sofreram algum tipo de prejuízo, com parte delas totalmente destelhada.

“A família do pastor Elson (Rysdyd) dormiu no carro, pois a casa pastoral teve o telhado destruído pelo granizo”, contou pastor Renato à FLD, por telefone. “Todos os móveis, roupas e utensílios estão molhados e equipamentos foram inutilizados.” O templo sofreu danos, assim como o salão da comunidade. Os membros também tiveram os telhados danificados, mas não houve vítimas.

De acordo com o pastor sinodal, ao chegar à Paróquia Evangélica São Tomé de Porto Lucena, ele viu muita solidariedade: “Um grupo de membros estava trabalhando em mutirão, para tirar água e barro da igreja. Todos e todas estão bem. A maior preocupação é de não estarem sozinhos neste momento.”

A FLD, a partir da sua área temática Emergências/Ajuda Humanitária, criada no início de 2011, e do seu vínculo com a Aliança ACT, promoveu o Seminário de Capacitação em Preparação e Resposta a Emergências, em novembro do mesmo ano. No encontro, que contou com a presença de pastores sinodais e representantes sinodais, de comunidades afetadas por desastres nos últimos anos e da Presidência da IECLB, foi elaborado um Mecanismo de Resposta à Emergência. O documento prevê que cabe aos sínodos a tarefa de buscar ajuda caso a situação de emergência supere a capacidade local de resposta.

No dia de hoje, a equipe da FLD contatou por telefone alguns dos pastores sinodais do Rio Grande do Sul para verificar a situação, colocando-se à disposição para acompanhar os eventuais esforços das comunidades no que se refere a ações destinadas ao apoio a famílias atingidas. O processo deve partir de uma avaliação, feita pelas comunidades e sínodos, considerando também a sua capacidade de ação.

Se a decisão for pela ajuda humanitária, as comunidades poderão encaminhar projetos, via sínodos, para o Fundo de Emergências da FLD. A partir daí, a FLD promoverá uma Campanha Solidária para arrecadar recursos a serem destinados aos projetos recebidos.