FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Rede da FLD participa da 1ª Semana Mundial do Comércio Justo no Rio de Janeiro

A 1ª Semana Mundial do Comércio Justo e Solidário (27 a 29 de maio, no Rio de Janeiro/RJ) encerrou com um balanço positivo, de acordo com as e os participantes. Durante os três dias, representantes de mais de 40 países estiveram reunidas/os, trocando experiências de ações bem sucedidas no comércio justo e na economia solidária, certificação de produtos e abertura de novos mercados aos empreendimentos.

“Foi um encontro muito rico, que permitiu trocas de experiência, discussões e aprendizagens”, disse a assistente de projetos da Fundação Luterana de Diaconia (FLD), Marluí Tellier. “Foi bom ver e conhecer organizações vinculadas ao comércio justo que já desenvolvem um trabalho há anos. Sem dúvida, foi um ótimo intercâmbio, especialmente para contribuir no fortalecimento da ‘nossa’ Rede de Comércio Justo e Solidário.” Junto com a FLD, participou a representante da Cooperbom, de Viamão (RS), Isabel Cunha. O empreendimento é antigo parceiro da fundação e integra a Rede de Comércio Justo e Solidário (veja em http://www.comerciojustofld.com.br).

“O comércio com característica solidária vem ganhando espaço em todo o mundo. Nosso objetivo foi viabilizar a troca de experiências e o estabelecimento de agendas comuns no âmbito das políticas públicas e das redes do movimento social, em âmbito nacional, regional e global”, afirmou o coordenador do Comércio Justo da Secretaria Nacional de Economia Solidária, Antônio Haroldo Mendonça.

Segundo ele, a realização da semana deve trazer como resultados a interação, troca de tecnologias e conhecimentos, possibilitando a abertura de novos mercados, inclusive entre países da América Latina e do Hemisfério Sul, como Índia, África do Sul, Nova Zelândia, entre outros.

O Brasil foi escolhido para sediar o evento por ser pioneiro em termos de políticas públicas relacionadas ao tema (Decreto No. 7358 de 27/11/2010). A organização foi da Secretaria de Economia Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego, da Plataforma Brasileira de Comércio Justo (Faces do Brasil) e da World Fair Trade Organization (WFTO), entidade mundial presente em 75 países e com mais de 450 organizações espalhadas pelo mundo.

Salão mundial

As atividades seguiram nos dias 30 e 31, com o Salão de Comércio Justo e Solidário, agrupando expositores de todo o mundo. Além disso, foi realizada uma Rodada de Negócios com importadores e compradores brasileiros, com a participação do Programa APEX Sócio Biodiversidade, onde empreendimentos que comercializam produtos dos diferentes biomas brasileiros apresentaram itens como geleias de umbu, baru torrado, açaí e entre outros.