FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Rede de Diaconia reafirma a luta por direitos!

26-10-2018

A caminhada da Rede de Diaconia tem como fundamento a diaconia profética, que busca enfrentar e superar as causas do sofrimento humano, desigualdades socioeconômicas, violências, injustiças, racismo, discriminações, preconceitos, sexismo, LGBTfobia, machismo, patriarcalismo, fundamentalismos religiosos e o ódio.

Partilhar informações e refletir sobre o contexto do país (em pleno processo eleitoral) e da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) após realização de seu XXXI Concílio, com a eleição histórica da primeira Pastora Presidenta, pastora Silvia Genz, foram temas de diálogo do Grupo Gestor da Rede de Diaconia, na reunião realizada em Afonso Cláudio (ES), de 22 a 24 de outubro.

O grupo deu continuidade à elaboração do Projeto Político Pedagógico da Rede de Diaconia, a ser aprovado no Encontro Nacional da Rede, previsto para ocorrer entre os dias 16 a 18 de setembro de 2019. Além disso, avaliou as ações desenvolvidas em 2018, planejou as atividades para 2019 e analisou os projetos apresentados para fontes de apoio.

A reunião foi realizada na Associação Diacônica Luterana (ADL), permitindo às participantes e aos participantes vivenciar momentos da rotina de trabalho e interagir com as e os jovens que ali estudam. O Grupo Gestor também teve oportunidade de visitar e dialogar com as lideranças da Associação Albergue Martim Lutero (AAML), localizada em Vitória (ES). Foram momentos intensos de observações e diálogos sobre a pluralidade e sobre a importância e o impacto destes trabalhos na vida das pessoas. O mesmo pode-se afirmar sobre a participação nas práticas organizadas e ofertadas pela equipe da Associação Central da Saúde Alternativa do Espírito Santo (Acesa-ES).

2

Foram dias de ricos momentos de reflexões, trocas, vivências, acordos e re-energizações para as caminhadas e desafiadoras lutas que se apresentam a todas e todos que primam pela vida, pela dignidade e pela justiça. Somos continuamente chamadas e chamados a construir práticas diaconais transformadoras e com direitos humanos, testemunhas de um Cristo que observa, ouve, acolhe, denuncia, transforma e liberta (Mt, 5,1-12 – O sermão do monte; Mt. 5, 13-16 – O sal e a luz; e Jo. 4,7-26 – Jesus e a mulher samaritana).

Reafirma-se assim o compromisso diaconal pela defesa e promoção de direitos, por meio de práticas planejadas e participativas junto com as instituições diaconais que integram a Rede.

3