FUNDAÇÃO LUTERANA DE DIACONIA

Notícias

Xokleng apresentam sua cultura tradicional e trazem mensagem sobre a Barragem Norte

O Dia da Igreja do Sínodo Vale do Itajaí, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, celebrado no dia 24 de agosto, em Blumenau (SC), teve uma participação especial: crianças, jovens, mulheres e homens da Terra Indígena Xokleng-Laklãnõ apresentaram um pouco da sua cultura e trouxeram uma mensagem sobre a Barragem Norte.

O objetivo foi dar visibilidade  às moradoras e aos moradores da terra indígena, localizada nos municípios de José Boiteux, Vitor Meireles, Itaiópolis e Doutor Pedrinho, que sofrem há anos com inundações e descaso. A Barragem Norte, finalizada em 1992, é uma das três que controlam o forte fluxo de água que entra no Rio Itajaí-Açu em situações de excesso de chuva. Parte da água contida pelo muro, no entanto, acaba inundando a área indígena.

"Viemos aqui para contar sobre a nossa situação, que é tão difícil, há muito tempo", disse Edu Priprá, liderança indígena, que falou para o público. "O rio sempre fez parte da nossa vida, e lembro quando a gente pescava e vivia do rio. Hoje, a situação é de sofrimento, pelas cheias e pelo abandono da nossa gente."

A ideia de levar o grupo para o Dia da Igreja surgiu com o Projeto de Emergências, desenvolvido pelo Conselho de Missão entre Povos Indígenas (Comin), em parceria com a Fundação Luterana de Diaconia (FLD) e Sínodo Vale do Itajaí. O projeto, que recebe apoio da Aliança ACT, prevê ações de segurança alimentar, reparação de telhados de 30 casas, acesso à água através da instalação de poços e capacitação em emergências e no processo de organização de ações de incidência.

"Foi uma oportunidade de as pessoas olharem umas para as outras e verem que, mesmo sendo de culturas diferentes,  querem as mesmas coisas", disse o pastor sinodal Breno Willrich. O desconhecimento do que realmente houve com os Xokleng ainda é grande. "Precisamos mudar o nosso jeito de olhar para as e os diferentes."

Além de acolher o grupo no Dia da Igreja, o sínodo apoiou uma campanha de arrecadação de material escolar e de roupas infantis para as crianças Xokleng-Laklãnõ. "Vi muito carinho nas doações", contou a ministra local do Comin, Janaína Hübner. "Uma senhora entregou lápis coloridos e cadernos em um lindo pacote de presente, e assim foram vários exemplos."