DOAR AGORA

Realizada entrega de mudas frutíferas e nativas para implantação de unidades de referência em sistemas agroflorestais

Realizada entrega de mudas frutíferas e nativas para implantação de unidades de referência em sistemas agroflorestais
14 de novembro de 2020 Thais

O sistema agroflorestal, mais conhecido por SAF, é uma forma de uso da terra na qual se combinam espécies arbóreas no mesmo espaço, proporcionando diversidade e sustentabilidade. Fazer esta composição em uma mesma área é sempre um desafio, mas é possível incluir plantas medicinais, árvores de interesse energético para produção de lenhas ou madeiras de lei, plantas apícolas e distribuir frutas que produzam o ano todo.

O CAPA Erexim, por meio do projeto Rede CAPA de Agroecologia: Semeando o Bem Viver, promoveu a entrega de mudas frutíferas e nativas para implantação de 2 unidades de referência em sistemas agroflorestais. Cada unidade recebeu 84 mudas de 23 espécies diferentes.

O projeto é fruto de parceria firmada entre a Fundação Banco do Brasil (FBB) – Programa Ecoforte e a Fundação Luterana de Diaconia (FLD), junto aos cinco núcleos do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA).

A primeira unidade será implantada na família de Alcione Seghetto, na comunidade de Linha Bela Vista das Flores, de São Miguel do Oeste (SC). A família é integrante do grupo agroecológico Persistência e Vida, tendo sua unidade de produção certificada pela Rede Ecovida de Agroecologia.

Segundo Alcione, a família já vinha há um certo tempo amadurecendo a ideia de começar um novo jeito de produção de alimentos. “O Sistema Agroflorestal melhora e potencializa o solo, nos devolvendo alimentos saudáveis e com uma qualidade superior em nível de micronutrientes. O nosso planejamento inicial é a produção de frutas e o cultivo de plantas medicinais e, posteriormente, compartilhar a experiência com outras pessoas e entidades que se motivam com esse modo de produção”.

A segunda unidade de referência será implantada na família de Viviane Kappel, na comunidade de Linha Progresso, de Palmitos (SC), onde a principal atividade é a produção de leite e de grãos. A família já participou de alguns momentos de capacitação e percebem na agrofloresta uma oportunidade de diversificar a renda. “Fiquei muito feliz em ter o privilégio de poder implantar a agrofloresta em nossa propriedade”, enfatiza Viviane.