DOAR AGORA

O protagonismo é das mulheres no Quintal Agroecológico do Bairro Canabarro, em Teutônia

O protagonismo é das mulheres no Quintal Agroecológico do Bairro Canabarro, em Teutônia
29 de novembro de 2021 Thais

Em Teutônia (RS), na Unidade de Referência (UR) de Quintal Agroecológico, no bairro Canabarro, o protagonismo é das mulheres. São elas que lideram as atividades na Horta Comunitária e envolvem outras organizações e pessoas no processo.

Uma das principais ações realizadas neste ano foi a organização de uma iniciativa chamada Refeição Solidária. Desde meados de junho, foram distribuídas aos sábados, em média,  120 refeições a pessoas em vulnerabilidade social. Os ingredientes das refeições, em especial os condimentos e temperos, foram todos colhidos no Quintal Agroecológico. 

Com esse trabalho, feito a partir da implantação da UR, o Grupo de Saúde Comunitária do Bairro Canabarro envolveu outras organizações parceiras, como as Cooperativas Languiru e Certel, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, empresas e pessoas. Todas e todos contribuíram com insumos e equipamentos para manutenção do Quintal, como composto orgânico, sementes, mudas, sombrite, captação e armazenamento de água da chuva para usar na irrigação da horta. 

A última atividade da Refeição Solidária neste ano ocorreu no dia 27 de novembro. Agora, no período que antecede o início do verão, a comunidade fará as últimas colheitas das hortaliças e dos temperos. Em seguida, será feito plantio de adubação verde para que, em fevereiro, sejam iniciadas novas semeaduras. 

Miriam Magedanz, moradora do Canabarro e participante das ações na horta, fala de como tem sentido o trabalho na UR. “Sempre que fui teve muito aprendizado, amizade, trabalho coletivo, um ambiente de respeito ao alimento, à terra e com as pessoas! E ainda tem a alegria de sair  com os braços cheios da colheita, cheiro de terra, de ervas e de comida boa”. 

Tatiana Wiethölter, que também participa das atividades da horta, disse que encontrou acolhimento em dias difíceis.  “Quando estávamos no meio da pandemia e o mundo vivia o caos, a horta trouxe a leveza e alegria necessária para superar estes momentos. A alegria de plantar, crescer e colher alimentaram corpo e a alma”

A mesma opinião tem Andréa Dessbesell: “Posso afirmar que me faz um bem danado, poder contribuir para ajudar quem mais necessita. Amo!”.

OFICINAS  – Três oficinas foram realizadas em novembro nas três URs de Quintal Agroecológico localizadas em Teutônia. “Frutas da estação e uso na alimentação” foi o tema das atividades. Nelas, foram abordados aspectos nutricionais, bem como o manejo para prevenir mosca das frutas. 

Em Teutônia, além da UR no Bairro Canabarro, estão instaladas mais duas: uma no bairro Teutônia e outra na Linha Wink. Em Paverama, também foi implantado um Quintal Agroecológico, em setembro.

As atividades integram o projeto Rede CAPA de Agroecologia, desenvolvido no âmbito do Programa Ecoforte, apoiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela Fundação Banco do Brasil (FBB) e realizado pela Fundação Luterana de Diaconia (FLD) junto aos cinco núcleos do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA).