DOAR AGORA

Espaços seguros de discussão fortalecem o protagonismo das participantes

Espaços seguros de discussão fortalecem o protagonismo das participantes
3 de maio de 2016 zweiarts

Já são oito os grupos de mulheres ligados ao projeto Mulher Catadora é Mulher que Luta, envolvendo um total de 116 catadoras, que se reúnem uma vez por mês. Em 2015, foram criados: na Cootracar, Gravataí, na Coocamarp, Rio Pardo, na Aclan, em Uruguaiana, e na Rubem Berta, em Porto Alegre. Entre fevereiro e abril de 2016, foram organizados mais quatro: na Comcreal, Encruzilhada do Sul, na ACRA, em São Francisco de Assis, na Coovir, em Viamão, e mais recentemente, na Rede Catapoa.

Em alguns grupos participam catadoras de outras cooperativas ou associações, como por exemplo, nos municípios de Rio Pardo, São Francisco de Assis e na região Metropolitana de Porto Alegre.

Nos encontros, que funcionam como um espaço de reflexão e partilha de vivências, são abordadas temáticas como acesso a direitos, direitos das mulheres, relações de gênero e violência doméstica, entre outras. A iniciativa atende uma atende uma das prioridades do projeto Mulher Catadora é Mulher que Luta, que é o fortalecimento do protagonismo das catadoras.

Leia alguns depoimentos:

“Foi produtivo para conhecer companheiras de outras bases e trocar informações. Os encontros vão servir para crescer como mulher e trabalhadora”.

“Já sofri muita violência, mas agora sei que não mereço isso, no grupo aprendi que sou uma pessoa que têm direitos e merece respeito”.

“Os encontros são momentos de reflexão sobre nós mesmas, para refletir que acontece com nos mulheres, é um tempo nosso”.

Cadastre-se para receber nossa newsletter

Personel Maaşları