DOAR AGORA

​Seminário Defesa de direitos reúne 350 participantes em Porto Alegre

​Seminário Defesa de direitos reúne 350 participantes em Porto Alegre
15 de novembro de 2017 zweiarts

Catadoras apresentam o trabalho que foi realizado com os grupos de mulheres durante a realização do projeto Mulher Catadora é Mulher que Luta 

“Ver o auditório lotado, nesse cenário político atual, que está desmotivando as pessoas à luta, foi muito bom”, disse Suelen Cardoso Ramos, de Manaus (AM). “Vou levar para minha base a proposta de fazermos um evento semelhante, com a mesma metodologia. Os assuntos foram acertados e as pessoas participaram muito.”

Suelen foi uma das catadoras da Comissão Nacional do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) que estiveram em Porto Alegre (RS) no dia 10 de novembro de 2017, para o 2º Seminário Estadual do Projeto Mulher Catadora é Mulher que Luta – Defesa de direitos: catadoras e catadores na resistência, promovido pela Fundação Luterana de Diaconia (FLD) E MNCR, na PUC/RS a partir da parceria com o Programa de Pós-Graduação em Serviço Social – PPGSS/PUCRS. Junto com ela, vieram companheiras dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo e Sergipe.

Cedo de manhã, as caravanas vindas de diversas regiões do estado do RS foram recepcionadas com um lanche, e, logo em seguida, uma mística.

A mesa de abertura esteve composta pela representante do MNCR/RS na Comissão Nacional do MNCR, Maria Tugira da Silva Cardoso, pela integrante da Comissão Nacional do MNCR, Aline Souza, pela representante da PUC/RS, professora Jane Cruz Prates, e pela secretária executiva da FLD, Cibele Kuss. As atividades seguiram com a apresentação dos resultados dos grupos de mulheres, criados nas cooperativas e associações parceiras no projeto Mulher Catadora é Mulher que Luta, como espaços seguros para discutir assuntos como justiça de gênero, violência contra as mulheres, direitos, políticas públicas, racismo, preconceito e análise de conjuntura, entre outros.

Ainda pela manhã, Aline Souza, integrante da Nacional do MNCR, e a professora da PUC/RS, Berenice Rojas, apresentaram a atual conjuntura de retrocessos e de como isso está afetando o mundo do trabalho e a sociedade civil, respondendo questionamentos e perguntas da plenária.

À tarde, depois de um almoço em conjunto, as pessoas presentes dividiram-se em cinco grupos de discussão, trazendo, no final, suas considerações para debate na plenária. Os temas discutidos foram: Grupo 1 – Empoderamento e protagonismo das mulheres catadoras; Grupo 2 – Condições de trabalho e de saúde das catadoras e dos catadores; Grupo 3 – Violência doméstica e familiar; Grupo 4 – Controle social, Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC); Grupo 5 – Identidade e luta de classes.

Homenagem

A homenagem surpresa para Maria Tugira, pela sua trajetória de luta, foi um momento especial e de muita emoção durante o seminário. Tugira é uma liderança com uma longa caminhada como catadora e como membra do MNCR. Ela trabalhou mais de 30 anos no lixão de Uruguaiana, e lutou muito, junto à Prefeitura, pelo fim do lixão e para viabilizar a contratação da Aclan para a realização da Coleta Seletiva Solidária no município.

Cadastre-se para receber nossa newsletter

Personel Maaşları