DOAR AGORA

FLM declara profunda tristeza pela decisão da Igreja da Letônia de não mais ordenar mulheres

FLM declara profunda tristeza pela decisão da Igreja da Letônia de não mais ordenar mulheres
20 de junho de 2016 zweiarts

Wittenberg, Alemanha/Genebra, 20 de junho de 2016 – O órgão de governo da Federação Luterana Mundial (FLM), do qual a FLD participa representando a Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), declarou estar profundamente preocupado pela recente decisão tomada pela Igreja Evangélica Luterana da Letônia (sigla em inglês, ELCL), de proibir a ordenação das mulheres, e solicitou que esta fosse reconsiderada.

O conselho da FLM lançou uma declaração pública, intitulada Mulheres no ministério ordenado: nossa meta compartilhada, para afirmar sua posição. O documento destaca a igualdade das mulheres e dos homens na Igreja e reitera que “qualquer tipo de discriminação sobre a forma como as mulheres participam no ministério (incluindo a ordenação) causa dano na realização da missão da Igreja, em um mundo que já contraria a natureza do Reino de Deus”.

Para o conselho, a decisão da ELCL, de 3 de junho, restringindo o ministério ordenado aos homens, foi um retrocesso no caminho comum que a FLM vem trilhando há 32 anos. Por cinco assembleias consecutivas da FLM, desde a sétima, em Budapest, em 1984, até a décima primeira, em Stuttgart em 2010, “as igrejas membro são impulsionadas a discernir em oração e afirmar a capacitação teológica das mulheres, sua liderança e sua completa inclusão”. 

Foi lembrado que a ELCL começou a ordenar mulheres em 1975 e esta mudança da constituição as exclui da participação completa na vida da Igreja. O conselho reconheceu que a ordenação é um chamado e não um direito, e a restrição e exclusão dos dons das mulheres pode servir para desvalorizar a todas as mulheres e incrementar a sua discriminação, tanto na igreja quanto na sociedade.

“Compartilhamos a dor e a tristeza das irmãs e irmãos na ELCL. Acreditamos que toda a Igreja e toda nossa comunhão sofrem quando os dons do ministério das mulheres não são valorizados e não podem se expressar completamente”. Enquanto a FLM se prepara para o aniversário dos 500 anos da Reforma, em 2017, o conselho expressou sua esperança que a posição de muitos anos, referente à atuação das mulheres no ministério, possa ser reafirmada na 12ª Assembleia, que será realizada no ano que vem, na Namíbia.

https://americalatinacaribe.lutheranworld.org / Foto: LWF/M. Renaux

Cadastre-se para receber nossa newsletter